amor pela internet

Sou muito insegura e ciumenta o que fazer



Inscreva-se!

Inicial do nome:I
Historia: A minha história é longa. Não tenho facilidade para resumir, mas tentarei…

Há 1 ano e 2 meses, conheci um rapaz, em um site de arte. Nem planejava conhecer ninguém, porque na verdade não acreditava em amor à distância.

Com o tempo, eu e esse rapaz nos apaixonamos, e passamos de alguma forma a fazer planos de nos encontrarmos um dia. Este rapaz, o A., mora em outro continente. Por sermos jovens (eu tenho 21 e ele 18 anos), não temos como nos ver por conta própria, mas ele planeja estudar aqui, no Brasil. Se ele conseguir ser aprovado aqui, nos veremos em setembro deste ano!

amor pela internet

Nos primeiros meses, eu diria que nos 9 primeiros meses, não havia problemas. Sempre fui uma pessoa insegura, então eu sempre sentia ciúmes dele (muitas vezes sem razão), mas ele sempre me acalmava.

Vivemos bons momentos, e a única coisa que faltava era o toque.

Mas nos últimos meses, minha insegurança foi aumentando, de modo que por várias vezes eu terminei. Não terminava por realmente querer terminar, mas por impulso, ciúmes, carência, mania de achar que ele deveria ter o tempo sempre livre para mim.

Então, nas duas vezes em que terminei, pedi para voltar, ao que ele aceitou. Houve uma vez, em que minha crise de insegurança foi muito forte, e o A. ficou magoado com a minha falta de confiança nele, e quis se afastar de mim.

Mas, mesmo assim, voltamos a nos falar, ainda nos amamos muito.

De qualquer forma, o amor está desgastado, pela distância, pelas brigas de ciúmes sempre de minha parte, acusações e coisas que falei, sem pensar nos sentimentos e na lealdade de A.

Na sexta feira, uma crise de ciúmes tomou conta de mim. Eu disse a ele, por uma mensagem na internet, coisas ruins. O acusei de não me amar, enfim, disse coisas precipitadas, sem saber o que ele estava pensando. Sempre tivemos conversas sinceras e abertas a respeito de todos os assuntos, mas a minha crise ridícula de insegurança não deixou tempo para que eu pudesse esperá-lo e ter uma conversa de adulto. Chorei muito pelas coisas que disse. Disse até mesmo, que não queria mais dar o meu amor a ele, mas também disse que o amava.

Tudo que eu disse não foi por raiva, e sim por medo de estar atrapalhando a vida dele. “Terminando” com ele, eu achei que estaria fazendo a coisa certa, deixando ele livre de mim, para fazer o que quisesse. Porém, o amo demais, e ele também me ama. Na hora em que escrevi a mensagem, eu só pensava: Ele não gosta mais de mim, devo deixá-lo livre. Mas, era um pensamento mais uma vez, causado por ciúmes ridículos.

Então, disse a ele que me afastaria, mas não sairia da vida dele, apenas não mais daria o meu amor… E acredite, doeu muito dizer aquelas coisas, ao homem que eu tanto amo, e espero encontrar.

Tudo o que eu disse, foi fruto de minhas inseguranças e carência, necessidade de receber demonstrações de afeto sempre, o que é errado de minha parte.

O que eu sei, é que nada do que eu disse é verdade. Eu ainda o quero, eu não quis terminar, eu quero ficar junto dele mesmo distante, esperando o dia tão sonhado por nós dois, em que nos veremos.

Enfim, após eu ter enviado a mensagem desabafando e terminando, ele leu (e não respondeu). No dia seguinte, o irmão dele falou comigo, perguntando porque eu tinha feito aquilo, dizendo que o A. ainda gostava muito de mim e que estava chateado. Mas, não levei muito em consideração aquilo, afinal, é o irmão mais novo do A., ainda uma criança pura e inocente, e que eu gosto muito.

Mas, fiquei preocupada ao saber que o A. estava mal, eu passei mal no dia que soube (as dificuldades sentimentais atingiram o meu físico, de alguma forma). E então, enviei outra mensagem ao meu amado A., pedindo que ele ficasse bem, me desculpando pelas coisas que eu disse, dizendo que eu o amava e explicando o motivo que causou os ciúmes ridículos, os quais me fizeram fazer sérias acusações, e injustas. Muito injustas…

E finalmente, ontem, o A. me respondeu. Ele disse apenas, em um tom seco e frio, que quando ele puder ficar na internet, nós dois teremos uma conversa séria.

Eu estou com medo. Não quero que ele me peça para sair da vida dele, e não quero mesmo que tudo se acabe, logo agora que estamos tão perto de alcançar o nosso sonho… Eu ainda o adoro, e sei que ele também gosta de mim. Tudo que eu disse, foi uma idiotice, mas eu machuquei a ele com palavras fortes e acusações injustas.

Gostaria de pedir a opinião do Conselheiro, o que devo fazer? Estou disposta a melhorar e me inscreverei em uma terapia, para me livrar de inseguranças. Mas, e quando o A. me procurar novamente, para termos aquela “conversa séria”? O que eu digo para que ele acredite que eu, ainda o amo e eu realmente não quis machucá-lo com aquelas palavras?

Estou errada, e muito arrependida mesmo, mas o que foi feito não tem volta. Gostaria de conselhos quanto a esta situação. Estou esperando ele me procurar, como disse que faria, para termos a conversa. Mas tenho medo que nessa conversa, ele peça para se afastar de mim, ou que não haja volta para o nosso amor… Não queria estragar algo tão forte, por ciúmes ridículos de minha parte, eu realmente… Estou aflita com tudo isso.

Desde já agradeço a atenção. O meu amado A. deve me procurar nas próximas semanas, mas o que eu devo fazer, para que ele não desista de mim… ?

Obrigada, fico no aguardo. Este espaço é maravilhoso! Abraços.
________________________________
Resposta do Conselheiro Amoroso:
Olá amiga “I”, primeiramente agradeço a confiança e a sua história, e sua história de amor com alguém que você ainda nem conhece pessoalmente é realmente fora de série, com certeza faria muito sucesso se fosse enviada para um desses quadros famosos de tv.

E quando ao seu caso, acredito que antes de mais nada é importante ter os pés nos chão agora, e não ficar se culpando por isso ou aquilo que você disse ou falou, o fundamental é que você viu que errou e admitiu seus erros e já pediu desculpas por isso, então hora de virar a página e não ficar “remoendo” o que passo, e pensar no futuro.

E o próximo passo é ter essa conversa com ele, deixar ele falar o que tem a dizer(infelizmente não podemos saber qual será a atitude dele, em vista do que você disse a ele) e claro tentar explicar a ele o que aconteceu, e que você esta disposta a mudar.

E mudar a maneira de ser e agir é muito importante, pois de nada adianta ele lhe desculpar agora e daqui algum tempo você vir a cometer os mesmo erros.

E de qualquer forma é importante estar preparada para ouvir algo negativo, uma vez que estando distante é complicado saber o que passa no coração e mente dele, e caso ele venha realmente acabar tudo, não se humilhe, deixa a poeira baixar, esfrie a cabeça para assim saber o que atitude tomar.

E para concluir, sempre gosto de comentar que quando o assunto é o amor, ele deve ser um complemento de nossa felicidade, e não a felicidade propriamente dita, por isso é importante buscar sempre uma vida feliz, com os amigos, com a família no trabalho em fim ter um equilíbrio em todas essas bases para que quando uma venha a ser afetada a sua felicidade continue em pé e você possa seguir com uma vida feliz.

Desejo que




3 ideias sobre “Sou muito insegura e ciumenta o que fazer

  1. I*

    Olá. Gostaria de agradecer o conselho. O meu amado A* ainda não pôde conversar comigo, ainda estou preocupada quanto ao que ouvirei dele. Mas os dias que se passaram me fizeram perceber o quanto ainda gosto dele, e como sinto falta.
    Qualquer novidade contarei aqui, afinal os conselhos me deixaram até mais tranquila…
    Abraços!

Os comentários estão fechados.